ELEIÇÕES UNIMED VITÓRIA

eleições unimed vitória
eleições unimed vitória

Uma nova diretoria será eleita em fevereiro ou março de 2019 e questões importantes precisam ser discutidas.

Atualmente somos 2.363 cooperados com 2.400 funcionários, 340.000 clientes e um faturamento mensal médio de 108 milhões de reais.

Com esses números e a nossa meta histórica como cooperativa de distribuir 42% da receita aos cooperados, deveríamos receber em média R$ 19,195,00 ao mês mas, segundo os relatórios da diretoria, esse percentual está em 23% ou R$ 10.321,00 possivelmente irreal por estar inflado por “ganhos indiretos dos cooperados” como planos de saúde do médico cooperado e de seus familiares, patrocínios etc que não deveriam fazer parte dessa conta.

O que sabemos é que recebemos a pior tabela do mercado, incluindo aí também os convênios ditos mercantilistas e pior ainda em comparação aos 27 convênios das empresas de Auto-Gestão UNIDAS remunerando com valores 50% abaixo para exames, procedimentos ou cirurgias, ou seja, somos a referência que puxa para baixo a remuneração de todos os cooperados no Espírito Santo.

falha

Onde estamos falhando?

1- Embora possamos entender que o aumento significativo dos provisionamentos obrigatórios regulados pela ANS tenham aumentado o nosso custo e não possam ser reduzidos, a diretoria da Unimed Vitória falha absurdamente no controle do Custo Assistencial ao utilizar somente artimanhas de restrição e burocratização na autorização de procedimentos que levam muito mais a irritação dos cooperados, prestadores e usuários do que a resultados práticos palpáveis inclusive bloqueando indistintamente exames e procedimentos altamente recomendados.

2- Estamos com uma sinistralidade de 83% (custos assistenciais incluindo nossos ganhos).O número é excessivo mas o que mais impacta é a impotência dessa diretoria instalada há 25 anos em não conseguir estabelecer critérios de qualidade e de boa indicação de exames, procedimentos, internações e cirurgias, isso faz com que gastemos muito em procedimentos mal indicados ou com resultados ruins, remunerando mal os bons procedimentos e comprometendo nossos resultados financeiros. Aliado a isso temos uma prevenção desorganizada e sem a participação ativa dos cooperados, repetição desnecessária de exames, excessos de próteses e procedimentos com morbi-mortalidade acima do aceitável.

3- Investimentos intermináveis em Unidades Próprias como o CIAS que deveriam gerar grandes lucros aos cooperados mas que não temos a menor ideia de seus balanços e a quem beneficiam financeiramente pois são propositadamente ocultos dos seus “donos”.

4- Excesso de órgãos inúteis (Núcleo de Desenvolvimento Cooperativista com 11 membros, Conselho Social com 103 membros e inúmeros outros cargos irrelevantes) que consomem despesas de auditórios, funcionários e alimentação em reuniões com jetons de 20 consultas/reunião a cada um dos participantes, cujos resultados e despesas nenhum cooperado tem o menor conhecimento.

O que fazer ?

1-    Não adianta adotar boas práticas gerenciais sem perseguirmos ótimos resultados técnicos médicos em nosso negócio sobre o qual nem temos dados estatísticos adequados para discussão e melhoria do nosso desempenho. É urgente desenvolvermos sistemas e estratégias, junto com as especialidades, que otimizem nossos resultados.

2-    A nossa cooperativa não tem transparência e os seus 2.363 “donos” não tem qualquer influência em seus destinos, investimentos e possíveis lucros e isso precisa mudar, vamos abrir as portas da Unimed Vitória a todos os cooperados.

3-    Temos um grande patrimônio, uma receita volumosa mas somos tratados como empregados ou conveniados e não como cooperados donos do negócio aonde a remuneração do trabalho médico deverá ser priorizada e debatida diuturnamente.

4-    Estamos atrasados e temos que preparar a Unimed Vitória para o futuro ainda hoje com a participação ativa de todos os cooperados e sem imposições da diretoria.

5-  Temos que cortar custos em todos os níveis para privilegiarmos o ganho dos cooperados em suas próprias atividades médicas.

Está na hora de mudar mas com conhecimento e responsabilidade

Na próxima eleição vote em “MUDANÇA COM RESPONSABILIDADE” ou você vai ficar mais 4 anos se lamentando dos seus honorários e do nosso atraso

ELEIÇÕES UNIMED VITÓRIA 2019  PARTE 3

 

O que fazer ?

1-    Não adianta adotar boas práticas gerenciais sem perseguirmos ótimos resultados técnicos médicos em nosso negócio sobre o qual nem temos dados estatísticos adequados para discussão e melhoria do nosso desempenho. É urgente desenvolvermos sistemas e estratégias, junto com as especialidades, que otimizem nossos resultados.

2-    A nossa cooperativa não tem transparência e os seus 2.363 “donos” não tem qualquer influência em seus destinos, investimentos e possíveis lucros e isso precisa mudar, vamos abrir as portas da Unimed Vitória a todos os cooperados.

3-    Temos um grande patrimônio, uma receita volumosa mas somos tratados como empregados ou conveniados e não como cooperados donos do negócio aonde a remuneração do trabalho médico deverá ser priorizada e debatida diuturnamente.

4-    Estamos atrasados e temos que preparar a Unimed Vitória para o futuro ainda hoje com a participação ativa de todos os cooperados e sem imposições da diretoria.

5-  Temos que cortar custos em todos os níveis para privilegiarmos o ganho dos cooperados em suas próprias atividades médicas.

Está na hora de mudar mas com conhecimento e responsabilidade

Na próxima eleição vote em “MUDANÇA COM RESPONSABILIDADE” ou você vai ficar mais 4 anos se lamentando dos seus honorários e do nosso atraso

ELEIÇÕES UNIMED VITÓRIA 2019  PARTE 2

falha

Onde estamos falhando?

1-    Embora possamos entender que o aumento significativo dos provisionamentos obrigatórios regulados pela ANS tenham aumentado o nosso custo e não possam ser reduzidos, a diretoria da Unimed Vitória falha absurdamente no controle do Custo Assistencial ao utilizar somente artimanhas de restrição e burocratização na autorização de procedimentos que levam muito mais a irritação dos cooperados, prestadores e usuários do que a resultados práticos palpáveis inclusive bloqueando indistintamente exames e procedimentos altamente recomendados.

2-    Estamos com uma sinistralidade de 83% (custos assistenciais incluindo nossos ganhos).O número é excessivo mas o que mais impacta é a impotência dessa diretoria instalada há 25 anos em não conseguir estabelecer critérios de qualidade e de boa indicação de exames, procedimentos, internações e cirurgias, isso faz com que gastemos muito em procedimentos mal indicados ou com resultados ruins, remunerando mal os  bons procedimentos e comprometendo nossos resultados financeiros. Aliado a isso temos uma prevenção desorganizada e sem a participação ativa dos cooperados, repetição desnecessária de exames, excessos de próteses e procedimentos com morbi-mortalidade acima do aceitável.

3-    Investimentos intermináveis em Unidades Próprias como o CIAS que deveriam gerar grandes lucros aos cooperados mas que não temos a menor ideia de seus balanços e a quem beneficiam financeiramente pois são propositadamente ocultos dos seus “donos”.

4-    Excesso de órgãos inúteis (Núcleo de Desenvolvimento Cooperativista com 11 membros, Conselho Social com 103 membros e inúmeros outros cargos irrelevantes) que consomem despesas de auditórios, funcionários e alimentação em reuniões com jetons de 20 consultas/reunião a cada um dos participantes, cujos resultados e despesas nenhum cooperado tem o menor conhecimento.

ELEIÇÕES UNIMED VITÓRIA 2019 – parte 1

eleições unimed vitória

Uma nova diretoria será eleita em fevereiro ou março de 2019 e questões importantes precisam ser discutidas.

Atualmente somos 2.363 cooperados com 2.400 funcionários, 340.000 clientes e um faturamento mensal médio de 108 milhões de reais.

Com esses números e a nossa meta histórica como cooperativa de distribuir 42% da receita aos cooperados, deveríamos receber em média R$ 19,195,00 ao mês mas, segundo os relatórios da diretoria, esse percentual está em 23% ou R$ 10.321,00 possivelmente irreal por estar inflado por “ganhos indiretos dos cooperados” como planos de saúde do médico cooperado e de seus familiares, patrocínios etc que não deveriam fazer parte dessa conta.

O que sabemos é que recebemos a pior tabela do mercado, incluindo aí também os convênios ditos mercantilistas e pior ainda em comparação aos 27 convênios das empresas de Auto-Gestão UNIDAS remunerando com valores 50% abaixo para exames, procedimentos ou cirurgias, ou seja, somos a referência que puxa para baixo a remuneração de todos os cooperados no Espírito Santo.